B.O | Grupo de Vereadores de Santa Maria sofre ameaças

Na sessão plenária desta quinta-feira (29), durante o período do Grande Expediente, onde os vereadores tem a sua disposição 10 minutos de fala, a vereadora do Progressistas, Roberta Leitão tornou público um grave incidente que ocorreu com a parlamentar.

Durante a manhã de quinta-feira (29), às 10h14min a vereadora foi surpreendida com uma ligação, mas como o prefixo era 011, em um primeiro momento ela não atendeu. Em seguida uma mensagem de texto foi enviada com a frase: “Favor atender, contato de Brasília”.

Ao atender a ligação, a pessoa se identificou como Patrízia de Melo, e também dizia ser assessora do Coronel Antônio Elcio Franco Filho, que já foi secretário executivo no Ministério da Saúde e hoje é assessor especial da Casa Civil. Segundo a vereadora Roberta Leitão, a ligação foi gravada, e a pessoa na linha fez uma série de ameaças  que dizem respeito a todo o parlamento municipal.

É de conhecimento da população e a própria vereadora não esconde que utiliza a tribuna para falar das questões da saúde em Santa Maria e inclusive a parlamentar dedica quase que com exclusividade o mandado para fiscalizar essas demandas. “Eu tenho tentado incansavelmente dar atenção e ajudar aqueles que mais sofrem durante a pandemia”, diz.

Nessa ligação a suposta “Patrízia”, falava como se o coronel Antônio Elcio ainda estivesse atuando no Ministério da Saúde e estava entrando em contato com o gabinete da vereadora Roberta Leitão em razão das recentes atuações que ocorreram em unidades de saúde aqui em Santa Maria, onde a parlamentar fez ações de fiscalização junto a outros vereadores.

“Foram feitas afirmações que teríamos feito um panelaço na UPA, que havíamos cometido delitos, que inclusive o vereador Tubias estaria na unidade de saúde e cobrou sobre as vacinas”, relatou a vereadora.

Segundo a parlamentar, todo o conteúdo da ligação foi gravado. As ameaças foram graves, foram sérias, foram intimidantes, mas foram falsas. E segundo Roberta Leitão, isso não atinge apenas o seu mandato, atinge a todo o parlamento. O ocorrido já foi reportado para a Polícia, um Boletim de Ocorrência foi registrado, e o número do telefone que havia feito a ligação já foi rastreado e se constatou que é aqui de Santa Maria.

Em certo momento da conversa a vereadora questiona o porque o próprio Ministério da Saúde não fez contato, foi então que a “Patrízia” disse ter uma relação muito próxima com o “Jorge” e com o “Eduardo” e que a parlamentar seria procurada pela secretária do município.

Após a fala da vereadora Roberta Leitão, outros vereadores também trouxeram a público que sofreram ameaças. O vereador Rudys Rodrigues (MDB), relatou que no dia 11 de Abril também recebeu uma ligação que solicitava uma retratação em até sete dias pelos ocorridos na fiscalização da UPA onde o vereador também estava presente. Ele participaria de uma reunião virtual com o Ministro Onyz Lorenzoni, o Governador Eduardo Leite e o Presidente da Assembléia Legislativa, Gabriel Souza, onde faria essa retratação.

A vereadora Helen Cabral (PT), também relatou sofrer ameaças, mas em forma de mensagens de whatsapp. Numa tentativa de extorsão foi pedido 20 mil reais, ou 15 mil  e um cargo como assessor durante seu mandato.

Após os relatos desses três vereadores, o presidente da Câmara de Vereadores, João Ricardo Vargas (Progressistas), informou que mais parlamentares da casa sofreram ameaças, e que esse número passa de seis. Que inclusive foram feitas ameaças de forma velada e de forma ostensiva. De acordo com o presidente, que foi comandante do 2º Batalhão de Operações Especiais (BOE), mas hoje está na reserva, “Em 30 anos de serviços prestados a BM ele nunca sofreu ameaças como estas que presenciou dentro da casa legislativa”.

A Polícia Civil foi acionada e passa a investigar o caso.

Foto destaque: Karohelen Dias/ Câmara de Vereradores

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Avenida Rio Branco, 809  –  Centro  –  Santa Maria/RS  –  CEP 97010-423