Explosão na região portuária de Beirute, no Líbano causa destruição em prédios e inúmeras mortes

Uma grande explosão atingiu a capital libanesa, Beirute, nesta terça-feira (4), quebrando janelas dos prédios vizinhos. Ainda não há detalhes sobre feridos ou qual seria a causa da explosão. A agência Reuters aponta que há pelo menos 10 mortos.

A forte explosão na área portuária de Beirute foi sentida em diversas partes da cidade e há relatos até mesmo de pessoas no Chipre que sentiram o impacto. Usuários do Twitter postam imagens e vídeos mostrando uma grande coluna de fumaça. Imagens de dentro do porto de Beirute transmitidas pela TV libanesa mostraram prédios reduzidos a escombros, contêineres lançados pela área e vários incêndios.

Segundo o jornal inglês The Guardian, o ministro da Saúde do Líbano disse a jornalistas que um navio com fogos de artifício explodiu no porto, embora o tamanho da explosão ouvida em todo o país tenha levantado suspeitas de que possa ter resultado de um ataque de foguete ou detonação de explosivos — deliberados ou não. Ele disse que pelo menos dezenas ficaram feridas, mas não deu mais detalhes sobre as vítimas.

— Vi uma bola de fogo e fumaça subindo sobre Beirute. Pessoas estavam gritando e correndo, sangrando. Sacadas foram arrancadas de edifícios. O vidro dos prédios se partiu e caiu nas ruas — disse uma testemunha para a Reuters, segundo a Folhapress.

Outra testemunha da Reuters disse que viu uma fumaça cinza pesada perto da área do porto e depois ouviu uma explosão e viu chamas de fogo e fumaça preta: 

— Todas as janelas do centro da cidade estão quebradas e há feridos andando por aí. É um caos total.

Nas redes sociais, há vários vídeos da explosão em ângulos diferentes e as cenas de pavor nas ruas após o incidente. Em entrevista à BBC, Hadi Nasrallah, testemunha da explosão, disse que a cena foi “muito assustadora” e que o barulho foi “muito alto”.

— De repente, perdi minha audição. Perdi minha audição por alguns segundos. Eu sabia que algo estava errado e, de repente, vi os cacos de vidro se espalhando sobre o carro — contou ele, que admitiu o temor por um incidente político.

Um tribunal apoiado pela ONU divulga na sexta-feira (7) o veredito no julgamento contra quatro homens acusados de terem participado do assassinato do ex-primeiro-ministro libanês Rafic Hariri em 2005, uma etapa fundamental em um longo e caro processo no qual os suspeitos continuam em liberdade.

Os réus, todos membros do movimento xiita do Hezbollah, estão sendo julgados à revelia pelo Tribunal Especial do Líbano (TSL), com sede em Haia, encarregado de ditar a sentença 15 anos após o atentado com um carro-bomba, no centro de Beirute. Nele, morreram o bilionário sunita e outras 21 pessoas.

A região também atravessa fase de tensão entre países vizinhos. Em cada lado da fronteira entre Israel e Líbano, as declarações são marciais: o Hezbollah afirma que a ação contra Israel é “irremediável” e Israel adverte o movimento xiita sobre “brincar com fogo”. Para analistas, nenhum dos dois pretende entrar em conflito.

Fonte:ZH

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Avenida Rio Branco, 809  –  Centro  –  Santa Maria/RS  –  CEP 97010-423