Greve dos Educadores Estaduais: “Não existe a possibilidade de retorno até porque não há razão nenhuma pra retornar”

A greve dos educadores estaduais na região Central do Rio Grande do Sul vem ganhando mais adesão a cada dia. Ao todo, pelo menos 40 instituições de ensino aderiram ao movimento. Uma reunião foi realizada na quinta-feira (21) para avaliar os primeiros dias de greve e elaborar a mobilização para a próxima semana.

Conforme Rafael Torres, diretor do 2º Núcleo do Cpers Sindicato, uma assembleia nesta sexta-feira (22) teve o objetivo de avaliar o movimento e planejar ações para a próxima semana. O encontro foi realizado na Escola Olavo Bilac.

Segundo Torres, a retomada das aulas esteve e continuará fora da pauta. “Não existe a possibilidade de retorno até porque não há razão nenhuma pra retornar. O Governo não sinalizou com absolutamente nada, não chamou pra dialogar, pra negociar. Então, nós seguiremos por tempo indeterminado, mobilizados e visitando escolas, construindo ações, construindo atos”, menciona.

Uma assembleia estadual irá reunir a categoria na terça-feira (26), na Praça da Imperatriz, em Porto Alegre. “Quando atacam a educação pública, atacam não somente aqueles que trabalham na educação pública, mas também aqueles que dependem da educação pública. Não há possibilidade de retorno nesse momento, porque não houve qualquer sinalização do governo. Seguimos firmes e fortes e a greve cresce a cada dia”, reforça Torres.

Mobilização
Na próxima semana, a tendência é de que outras categorias se somem aos educadores contra o pacote do governador.

“A mobilização tende a aumentar. Iremos realizar uma reunião do Movimento Unificado para debater ações contra o pacote. Servidores de outras categorias deverão, em breve, se somar a nós”, projeta Simone Pirotti, membro da diretoria do 2º Núcleo do CPERS.

Imagens: Maiquel Rosauro.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Avenida Rio Branco, 809  –  Centro  –  Santa Maria/RS  –  CEP 97010-423